sábado, 27 de junho de 2009

QUEDA DO AIRBUS DA AIR FRANCE NO ATLÂNTICO




Grande peça do gigantesco Airbus que caiu no oceano atlântico em 2009



Aviões da Força Aérea Brasileira fazendo busca dos destroços do avião da AIR FRANCE.


Trajetória do avião que deveria ir do Brasil para a França.

O SITE http://conteudo.arcauniversal.com/ traz a seguinte notícia sobre a queda do avião.

As autoridades brasileiras deram início na terça-feira (09) ao difícil trabalho de identificação dos primeiros 16 corpos encontrados dos ocupantes do avião da Air France que caiu no oceano Atlântico, nove dias após a tragédia ter acontecido.

O comando conjunto da Marinha e da Aeronáutica informou que os navios que rastreiam a área do desastre recuperaram ainda nesta terça-feira outros 13 corpos, o que elevou para 41 o total de vítimas retiradas das águas desde sábado, quando os primeiros restos humanos foram encontrados flutuando.

Os corpos foram depositados nas câmaras frigoríficas da fragata “Bosisio”, que já se dirige para Fernando de Noronha, onde deve chegar nos próximos dias após navegar 700 quilômetros, disseram porta-vozes militares em entrevista coletiva na cidade de Recife.

Os primeiros 16 corpos chegaram ontem ao posto montado no aeroporto de Fernando de Noronha, onde legistas e papiloscopistas iniciaram as perícias antes de enviá-los a Recife.

A Marinha e a Aeronáutica dirigem as operações de resgate na capital pernambucana, e ali os legistas brasileiros, com a ajuda de especialistas franceses, identificarão as vítimas com o auxílio de fotografias, amostras de DNA e registros dentários, entre outros.

Os corpos, conservados em contêineres refrigerados, foram analisados em um hangar do aeroporto de Fernando de Noronha por oito especialistas da Polícia Federal (PF) e da Polícia Civil de Pernambuco.

Em Fernando de Noronha será feita a “catalogação” das roupas e dos objetos pessoais de cada vítima resgatada, serão colhidas as impressões digitais e coletadas amostras de tecidos que possam servir para eventuais comparações genéticas.

“O trabalho pericial em Fernando de Noronha é bastante demorado”, explicou o tenente-coronel Ramon Borges Cardoso, diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo da Aeronáutica (Decea).

Concluído este trâmite, os corpos serão transferidos a Recife em um avião Hercules C-130 da Aeronáutica, o que deve ocorrer amanhã de tarde, segundo o militar.

Este primeiro grupo de cadáveres resgatados foi levado pela fragata “Constituição” até um ponto em alto-mar cerca de 50 quilômetros de Fernando de Noronha, e ali foi transferido a dois helicópteros, um Black Hawk e um Super Puma.

Os restos mortais foram recebidos no aeroporto de Fernando de Noronha por militares, e os sacos plásticos nos quais estavam não deixaram ver o estado em que se encontram os corpos, após terem flutuado no mar por uma semana.

O porta-voz da Força Aérea, tenente-coronel Henry Munhoz, reiterou em Recife que não serão feitas declarações sobre as condições em que estão os corpos resgatados e pediu à imprensa que não faça perguntas a respeito.

Munhoz acrescentou que, após transferir os corpos aos dois helicópteros, a fragata “Constituição” voltou ao local do desastre para continuar buscando outros restos humanos e do Airbus A330.

Nenhum comentário:

Postar um comentário